Chegar vivo até o final do ano

Como expressado no título da postagem, o meu único desejo para 2017 é chegar vivo até o fim do ano. E mais: não deixá-lo tornar mais um ano-borrão (é que desde 2014 a minha vida tem sido um borrão, eu perdi o controle do que tenho feito e do que quero fazer; é triste, mas é verdade).

Eu sou um procrastinador. Quando li uma publicação do meu querido amigo Jaírlos (esta aqui) em que ele assume a sua faceta de procrastinador e ainda discorre sobre tal assunto, chegando a criar categorias e diferentes tipos de procrastinação, a identificação foi tamanha que tive certeza de que também sou.

Nos últimos anos (anos?) minha vida tem sido um eterno procrastinar que se estende em todos os aspectos possíveis: trabalho, estudos, relações familiares, amorosas, entre amigos, lazer… tudo.

Por exemplo, dei inicio a este blog em 7 de julho de 2015 e de lá pra cá não houveram tantas publicações. A explicação é simples: estou deixando de fazer algumas coisas para realizar outras que nem sempre são mais importantes ou urgentes.

Outros claros exemplos são os amigos e familiares que há tempos prometi visitar, sair para tomar um café, conversar (me perdoa pessoal). Livros, filmes, discos, shows… tudo tem sido deixado de lado e eu nem ao menos sei o porquê. Por quê?

Bom, para este ano me propus três desafios que envolverão o blog e três manifestações artísticas: literatura, cinema e música. Essa foi uma forma que encontrei de me incentivar a consumir arte, a manter o blog na ativa e também a minha sanidade mental.

Para a literatura, decidi participar do #DesafioLivrosBR elaborado e proposto pelo Val, autor do blog 1001 Livros Brasileiros Para Ler Antes de Morrer. O intuito do desafio é de fomentar e valorizar a literatura nacional e consiste na leitura de 12 diferentes categorias de livros propostas ao longo do ano. Dessa forma, farei uma postagem para cada livro que ler, trazendo minhas impressões e informações sobre tal obra.

Para o cinema, participarei do desafio proposto pelo blog Faltou Foco. Ele consiste em assistir a 52 filmes inéditos para mim e que se encaixem em 52 categorias previamente propostas. A ideia é assistir a um filme por semana durante todo o ano, mas não é necessário seguir a risca essa regra. Ao final de cada mês publicarei uma lista com os filmes vistos, as categorias em que se encaixam e alguma opinião ou informação que acho relevante apresentar sobre.

Já para a questão da música, não participarei de nenhum desafio. Optei por escrever 12 textos sobre cantores/as ou bandas das quais me interesso com o intuito de apresenta-los/as aos leitores/as, despertando o interesse (ou não) para ouvir as músicas, conhecer os discos, os videoclipes… enfim.

Vocês sabem, sempre que um ano começa nos enchemos de resoluções, expectativas, sonhos, metas… nem sempre conseguimos cumprir ou conquistar tudo que queremos, mas acredito que o vale mesmo é a tentativa e a caminhada.

Espero que este ano seja bem produtivo em todos os aspectos e que não seja mais um ano-borrão. Pelo contrário, que seja repleto de boas lembranças e acontecimentos marcantes (de uma boa forma, claro).

Se eu terminar 2017 vivo, já estou bem feliz.

Anúncios

7 comentários sobre “Chegar vivo até o final do ano

  1. Pingback: antirretrospecto | satãnatório

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s